JOSÉ ANTONIO CASARINI

 

A família Casarini nos brindou com 2 grandes pilotos !

O mais novo, José Casarini, que foi chamado de o novo Johnny Cecotto, teve uma curta mas marcante passagem pelo motociclismo nacional .

Vamos conhecer um pouco de sua história ...


Em 5 de outubro de 1955, nascia José Antonio Casarini, no bairro da Casa Verde, em São Paulo, Capital.

Como seu irmão 4 anos mais velho, Denísio já tinha moto, foi fácil para o menino José começar a se interessar também por motos.


Zé, de chupeta e seu irmão Denísio

Assim, aos 9 anos, dava suas primeiras voltinhas na Leonette de 3 marchas do irmão !

Já um pouco mais velho, com 14 anos, Zé que trabalhava de "Office Boy" numa empresa na Barra Funda (bairro vizinho à Casa Verde), sempre dava um jeitinho de passar pela R. General Osório (centro das motocicletas de São Paulo), para ficar admirando as motos nas lojas do Edgard Soares, Felipe Carmona e outras !

Algum tempo depois, seu irmão Denísio, em sociedade com o seu amigo Tucano (ambos eram pilotos da Yamaha), e Carmo Galante, abrem uma concessionária Yamaha, na R. Brigadeiro Galvão. Isso foi em 1973. A Casarini & Tucano. (veja propaganda da época)

Zé sempre acompanhava seu irmão nas competições, mas só ajudando a pegar peças, limpar o box, comprar sanduíche para a turma, mas sempre por perto !

Nessa época, Zé faz sua estréia nas pistas com uma Yamaha FS1 50, e ... cai !


Zé de cinquentinha !

Disputa também uma prova de 125, sem resultado expressivo.

Mesmo estando com um bom emprego na época, Zé aceita o convite de Carmo Galante para ir trabalhar efetivamente na Casarini & Tucano. Mesmo para ganhar bem menos !! Assim ficaria o tempo todo junto com as motos !

Em 1974, Tucano e Galante saem da sociedade, e Zé passa a ser o gerente geral da loja, que passa a se chamar Casarini & Cia. (veja propaganda da época)

Em 1975, a loja tem um novo sócio, Jacques Kutudjian.

Foi então que as coisas começam a acontecer em termos de competição para Zé ...

Na loja, havia um recepcionista chamado Antonio Teixeira que junto com o chefe dos mecânicos fazem a inscrição para as 24 Horas de Interlagos.

A moto usada seria uma RD 350 de Antonio, porém sem nenhuma preparação especial, apenas com uma pequena carenagem de farol, da Induma .

Porém, no dia da corrida, no sábado pela manhã,  o chefe dos mecânicos sofre um pequeno acidente na loja, machucando o ombro ... diz ele que não daria mais para competir (será que amarelou ?) !

Antonio Teixeira convida então Zé Casarini para ir participar com ele !

Zé não corria em interlagos há muito tempo, e nem de RD 350 ! Além disso, solteiro, tinha passado a noite "na farra" até altas horas ! Quase sem dormir, sem treinar ... encarar uma 24 Horas ?

Depois de alguma insistência, Zé concordou em "dar umas voltinhas e depois parar " ... Antonio Teixeira largaria.

Porém na hora de largar, Antonio Teixeira tem uma enorme desinteria ... amarelou também ?

Finalmente, ... largada Le Mans ... tá lá Zé Casarini !

Na 1ª volta, na curva da Ferradura, a moto fura o pneu !

A equipe consegue levar até lá uma roda de uma RD 250 com um pneu "quadrado" de alguém do box !


Zé Casarini (em pé) e seu parceiro Antonio Teixeira no Box

Zé faz essa primeira etapa com dificuldade, e entrega a moto para Teixeira, já com o pneu consertado.

Quando Zé retoma a moto, já está mais a vontade ... nisso, no meio do circuito, encontra com Expedito Marazzi com uma 650, que era instrutor em Interlagos, e amigo de Zé Casarini.

Zé ficou atrás de Marazzi por umas 10 voltas, pegando o traçado e a tocada ideal para a prova ! Foi uma verdadeira aula !


Zé, tocando a RD 350 !! O capacete é emprestado, de seu irmão Denísio !

Quando cai a noite, Zé, que estava com uma viseira amarela (por acaso !), começou a levar vantagem por enxergar mais, e passou muitos competidores !

E com isso, leva a moto a até a bandeirada, com direito a muitos elogios pela sua tocada forte ! Seu companheiro desistiu e Zé Casarini praticamente sozinho completou a prova !

Com isso, Zé fica bem animado com competições, e tenta conseguir uma Yamaha TD1 que estava literalmente jogada na Yamaha.  

Mas por intermédio de Jacques que era amigo do Tani, conseguem 3 TZ 350 ,e levam para a loja. Seu irmão Denísio, que estava parado por estar com braço engessado, preparou uma TZ e disse "Vamos Zé, vamos dar umas voltas em Interlagos ... "

Um pouco contrariado, Zé aceitou ... mas o primeiro contato com a TZ foi um fiasco, foi apavorante ... !!

Zé decidiu que jamais sentaria novamente numa TZ !!

Mas na semana seguinte, Denísio, arruma tudo, e em cima da hora chama o Zé ... "vamos, tem treino hoje e corrida amanhã " !

Zé não teve como dizer e não e lá se foi ... seu melhor tempo foi 3'48", ou seja bem abaixo da média das TZ, que era 3'20" a 3'22" !

Incentivado pelo irmão, Zé decidiu correr no dia seguinte !

No dia 10 de agosto de 1975, Zé estrearia na categoria Especial, prova válida pelo Campeonato Paulista ! Na largada, a moto pega, mas morre em seguida ... todo mundo some !

Zé ficou "mordido", e conseguindo largar, começou a andar muito ! Logo depois, já estava encostando no pelotão da frente !

No final, chega num excelente 4º lugar, na frente de muito piloto experiente, e com um tempo na sua melhor volta de 3'28" ! Ou seja conseguiu baixar 20" de um dia para o outro !


Primeira corrida de TZ 350 !

Na semana seguinte, dia 17 de agosto, seria disputada em Interlagos as 200 Milhas, prova de grande velocidade, pois era disputada no anel externo do circuito !

E Zé Casarini, de desconhecido, passa a ser um dos favoritos da prova !

Nos treinos de sábado, Zé já faz um tempo de 1'07", considerado muito bom, para quem nunca andou no anel externo.

Na prova, depois de uma grande pilotagem, Zé Casarini, andando na frente até do Jacaré, fica em segundo lugar, atrás apenas do já famoso e experiente piloto do mundial, Adú Celso !


Zé Casarini (nº 17) na frente de Jacaré (nº 3)

Foi uma pilotagem corajosa, agressiva e audaciosa !


Zé Casarini - 200 Milhas de Interlagos - 1975

A imprensa considerou o jovem piloto, Zé Casarini, como a grande revelação do motociclismo, entre muitos elogios, chamando-o de "o novo Johnny Cecotto" ! (veja jornais da época - 1- 2)


Da dir. para esq. - Adu Celso, vencedor na geral, Jacaré, vencedor da categoria Esporte (3º na geral), Zé Casarini, 2º na geral e Antonio Bernardo Neto, 4º na geral e 2º na Esporte. 

Em 1976, Zé, numa excelente jogada comercial, consegue, junto com mais 2 sócios, comprar a Casarini & Cia, que passa a se chamar Casarini Motos.

Nas competições, por falta de tempo (e verba !), disputa apenas algumas provas, sem ter grandes resultados, ainda de TZ.


Zé Casarini (na moto), recebendo instruções de seu irmão Denísio (de costas), que ainda estava de braço engessado - 1976

Em 1977, Zé consegue comprar a Yamaha TX 500 que havia vencido duas provas de  24 Horas, preparada pelo genial Tanigawa, que estava praticamente jogada, pois a equipe oficial de competições da Yamaha havia acabado.


Tucano vencendo as 24 Horas de 1974 com a TX 500. (Fez dupla com Denísio Casarini)

 


Nivanor Bernardi, com a TX 500, a caminho da vitória das 24 Horas de 1975. (Fez dupla com Takashi Ushida)

A moto, que tinha várias modificações na mecânica, como radiador de óleo, cabeçote preparado, entre outras, ganhou uma nova carenagem completa, feita pelo próprio Zé Casarini !

Com ela, o jovem piloto começa a temporada na categoria 350 a 500 cc, já com um ótimo 2º lugar !


Zé pilotando a famosa TX 500 !! Toda modernizada !

Após mais 5 excelentes corridas, Zé Casarini troca a sua TX 500 pela TZ 350 do Milton Nicola Adib, o Cigano.

Com a troca, e com novo patrocínio, da Surlorrran, Zé muda de categoria, para a Especial.


Zé Casarini (nº 17) com sua nova TZ, agora com freio a disco (1977)

Disputa também uma prova com uma Honda 750 Daytona, moto de Denísio, que estava machucado !


Zé com a 750 do mano Denísio 

No final da temporada, fica com o 3º lugar no Campeonato Brasileiro !

Zé Casarini que sempre foi muito bom nos negócios, visualizando a tendência do motociclismo, em equipar as motos, monta uma empresa de laminação e moldagem de fibra de vidro, que faz carenagens, rabetas, paralamas, a ROD. (veja propaganda da época)

No ano de 1978, com a mesma estrutura e equipe, Zé Casarini consegue ótimos resultados !


Zé Casarini ( na moto) e sua equipe. O chinês de óculos escuros é King Meng Ho. O de camisa amarela, é bico (Mário Hélio Sanctos) !

... mas também coleciona várias quedas !


Zé, "comprando um terreno" em Interlagos !

Mesmo tendo uma concessionária Yamaha, consegue a exclusividade para projetar, fabricar e fornecer os Kits para todas as motos que competirão na recém criada categoria Fórmula Honda ! Isso dá uma ótima alavancada nos negócios !

Aproveitando a "prática" adquirida nos inúmeros tombos que levava competindo, faz também um trabalho de Dublê para uma novela da extinta TV Tupi, onde tem que tomar 2 tombaços com uma Honda CB 360 ! 

Nesse ano também vieram as primeiras vitórias ! Foram 2 na Taça Centaruro, a qual foi Campeão !


Vitória na Taça Centauro. Ao lado de Casarini, Cláudio Girotto. De boina xadrez o saudoso Eloy Gogliano.

No final da temporada, ficou ainda com o vice no Brasileiro e em 4º no Paulista !

Na última prova do ano, o autódromo de Interlagos estava passando (mais uma vêz !) por uma reforma, tendo sido os boxes instalados provisóriamente na área do "padock".  Havia tido uma prova de motocross num circuito que ficava dentro do autódromo e as motos, para ir ao box, cruzavam por uma parte da pista. Isso deixou muita sujeira e terra na pista.

Com isso, Zé, que vinha com sua TZ, simplesmente deu de cara com um "torrão" de terra, e foi violentamente de encontro ao guard-rail ! Sua moto ficou detonada, e Zé Casarini muito machucado !

Foi o fim dessa TZ, que ficou inutilizada !

Em 1979,  Zé vende sua parte na Casarini Motos, que passa a se chamar Fast Shop. Seu irmão Deníso, que era diretor da concessionária Honda Renome, consegue uma carta de concessão !

Após muita conversa, Tucano, Milton Benite, Zé e Denísio resolvem se associar e abrir uma Concessionária Honda no bairro das Perdizes, S. Paulo.

A demorada procura por um ponto, as reuniões, foram desgastando o grupo, e Tucano desiste do negócio.

Milton Benite, que trabalhava na Fórmula G, recebe um "senhor" aumento por parte de seu chefe, Arnoldo Bessa, e também desiste.

Por fim, até o próprio Denísio se cansa e sai fora.

Zé, persistente, compra uma loja de motos na Av. Sumaré, em excelente ponto ... Denísio, agora decide entrar em sociedade com o irmão ... e após muita negociação (Zé sempre foi bom nos negócios !) abrem a Honda Casarini Motos, no início de 1980. Foi um ano de negócios !

Nas competições, a temporada de 1979 parecia que não iria acontecer para Zé Casarini, mas para sua surpresa, seu "patrocinador" King Meng Ho, da Surlorran, consegue uma TZ zero quilometro, ainda na caixa !

Faz duas prova com ela, mas, sem bons resultados, sendo uma quebra, e um tombo !


Zé com sua TZ 350 - 1979

No dia 19 de agosto de 1979, seria disputada a 2ª etapa da Taça Centauro, em Interlagos. Seriam duas baterias de 8 voltas cada. 

Chovia muito ... Zé com sua TZ 350, estava com pneu para seco !

Na primeira bateria, os favoritos, Cláudio Girotto e Marco Antonio Grecco largam e somem na ponta !

Zé, sem equipamento, sente sua moto sem controle nas retas, e decide voltar para os boxes ... "assim não dá ! ... preciso de pneus para chuva !" 

King Meng Ho, disse que na sua casa tinha um par de pneus novos (para chuva), e Zé decide ... "vou lá buscar !" ... e foi, de fusca, de macacão e tudo !

Voltou rapidamente, montou os pneus e ... foi direto para a largada da 2ª bateria, que já ia acontecer !

Na largada, a moto não pega, e Zé perde um tempo precioso ! Mas consegue largar ...

E vai pouco a pouco alcançando os competidores, até que 2 voltas depois já está colado no líder, Cláudio Girotto !

Fica um pouco atrás, administrando, sentindo que tem moto para vencer ! 

Na curva 3, no final do retão, Zé ultrapassa Girotto , e abre um pouco ... vinha andando forte !

Foi aí que de repente ... chão !!

Após a prova, Zé repensa sua vida, suas responsabilidades, seus projetos ... e decide ... é hora de parar ! Assim, nossa promessa de Johnny Cecotto , vai se dedicar exclusivamente aos negócios, sua grande vocação !

Junto com seu irmão Denísio, o sucesso empresarial da Honda Casarini Motos, vai até 1996, quando por desentendimentos comerciais, deixam a Honda ... e o motociclismo pela primeira vez !

Abrem uma concessionária da Ásia Motors, onde ficam por mais 5 anos, quando a marca deixa de apoiar as importações oficiais de seus veículos.

Zé Casarini se dedica também ao antigomobilismo, hobby que aprendeu a gostar nos últimos 15 anos . Tem muitos carros antigos em fase final de restauração e alguns já em estado de "Placa Preta" ! Sua paixão atual são os Studbaker 1951, os quais tem 2 em restauração.

Mas, como não poderia deixar de ser, assim que teve uma oportunidade, Zé voltou ao motociclismo, que aliás nunca saiu de seu sangue !

Com a entrada oficial da Kawasaki no Brasil, em meados de 2009, não perdeu tempo e abriu a segunda concessionária da marca no país, a "Casarini Oficial Dealer".


A belíssima loja Casarini Kawasaki

Eu, que tenho o prazer de ser amigo dos Casarini há muitos anos, fiquei conhecendo mais um pouco da história deste bem sucedido homem de negócios, que um dia, muito jovem ainda, encantou as pistas e os boxes por onde passou, com seu jeito agitado e alegre !

Valeu Zé !!   


José Casarini e Ricardo Pupo - janeiro / 2010

Por Ricardo Pupo

Se você quiser, faça seus comentários sobre essa matéria !

Comentários:



Nome:   E- Mail:


Comentário dos Internautas:


Grande amigo/adversário, extremamente correto na pista e muito " boa gente"  fora. Um abraço 
Mario H Sanctos 
mariohms@uol.com.br  (Quarta Feira, 6 de Agosto de 2003, às 18:05:09)


Sensacional. Gostei demais da materia, pois achei que tinham esquecido. Ele foi um fera, e sempre sera lembrado pelos fãs.
Tabajara  A. Jorge 
miraassumpcao@terra.com.br  (Quarta Feira, 6 de Agosto de 2003, às 18:50:35)


Pai, adoramos conhecer mais sobre sua historia, temos muito orgulho de ter um pai como voce, valeu pai
Feliz dias dos pais
Giuliano e Giorgio Casarini 
Giulianocasarini@uol.com.br  (Quinta Feira, 7 de Agosto de 2003, às 17:48:32)


Jose voltei ao passado ao rever sua vida esportiva, gostei e me emocionei muito ! um beijo enorme de sua mãe Rosa   
 rosa@casarini.com.br  ) Sexta Feira, 8 de Agosto de 2003, às 18:29:50)


Grande Zé Bó, gostava muito de ver vc correndo, estilo agressivo, igual ao seu irmão Denisio. Zé lembra de uma prova do paulista que vc estava sem confiança de brigar pela ponta e eu emprestei o meu talismã e vc venceu ?!!
Parabéns pela matéria, pois o Zé Casarini não  foi só um grande piloto, e sim uma grande pessoa. Um grande abraço.
Marcelo Scaloppi
mscaloppi@aol.com  (Terça Feira, 12 de Agosto de 2003, às 09:15:15)


Por algum motivo não pude assistir todas as corridas mas agora voltando ao tempo, fiquei emcionado. Valeu Zé  por tudo que conseguiu fazer com tão pouca tecnologia. Já pensou se fosse hoje ?????  Um forte abraço...
Laercio Cella 
lalao2003@ig.com.br  (Sexta Feira, 22 de Agosto de 2003, às 08:31:10)


Muito bom ver esse apreciável trabalho de competição , brilhante dedicação.
RODRIGO
rodmotocross@hotmail.com (Quarta Feira, 27 de Agosto de 2003, às 21:58:00)


E eu vi tudo de tão perto pois nascemos  e curtimos nos mesmos locais e época, lembra da COMASPE ,dos bailes do MOTA , alem de grande piloto uma grande figura. Parabéns Zé.   Ótima mateéria.
Marcio J. G. Oliveira
martcholo@terra.com.br  (Segunda Feira, 1 de Setembro de 2003, às 00:25:16)


Zé, não sei se vc se lembra, meu nome é José Luis Testa, minha primeira motocicleta 0km foi comprada em sua loja em 1976 uma RD 50 nacional, meu pai conhecia o seu (que faleceu muito cedo segundo meu pai) comecei a correr em 1978 e fui vice campeão paulista na estreantes e novatos graças a seu incentivo...... foi uma viagem revê-lo.
Forte abraço
Testa
testajl@terra.com.br  (Quarta Feira, 10 de Setembro de 2003, às 21:16:31)


Ao ler esta matéria fiquei muito emocionado e feliz. Pois em 2001 negociei um carro, uma Towner prata, na Asia Casarini. Até então não sabia quem era este
personagem.
Até hoje possuo este veículo e fiquei muito feliz por ter conhecido sua história.    
Hildebrando Souza dos Santos
hildebrando.santos@ig.com.br  (Domingo, 14 de Setembro de 2003, às 11:39:58)


Parabéns por todos seus feitos, fiquei surpresa ao saber de tantos. Faz um favor, tira essa barba.
Quinta Feira, 18 de Setembro de 2003, às 15:58:48


Ótima matéria e saudades destes amigos de "luta". Saudades ainda mais do meu irmão (Vitorinho Barbugli, de Araraquara) que numa Taça Centauro, lamentavelmente acabou morrendo em Interlagos. Que pena e muitas saudades desse bom tempo. Parabéns Ricardo!!!
Wilson Barbugli
wbarbugli@yahoo.com  (Segunda Feira, 29 de Setembro de 2003, às 20:37:15)


Zé muitas felicidades, que sua vida seja sempre repleta de alegrias. Parabéns por mais um ano de vida. Saúde e Paz.
Andréa C. de Lemos
andrea@dlemos.com.br  (Terça Feira, 7 de Outubro de 2003, às 16:16:57)


Zé, foi bom ver você de barba na foto. Assim, não darei vexame se o encontrar e não o reconhecer. Um grande abraço
Gabriel Marazzi
gabriel@marazzi.com.br  (Quinta Feira, 9 de Outubro de 2003, às 09:49:16)


NOVO CECOTTO, AI VC FOI FORTE EIN ZÉ, ESPERO QUE VC TENHA APRENDIDO A PERDER POIS NO ULTIMO KART INDOOR VC FICOU LOUCO DE RAIVA PQ TOMOU PAU DOS SOBRINHOS.
VEJAM A REALIDADE SOBRE OS IRMÃOS CASARINI
DECADA DE 70 - TOMAVA PAU NAS MOTOS
DECADA DE 80 - TOMAVA PAU NO KART CATEGORIA SENIOR
DECADA DE 90 - TOMOU MAIS DE 10 SEGUNDOS NA CLASSIFICAÇÃO PARA 1000 MILHAS E QUASE DESTRUIU O MUSTANG NA FREIADA DO S DO SENNA
DECADA DE 2000 - TOMA PAU DOS SOBRINHOS NO KART INDOOR
BEIJÃO ZÉ, 
SEUS SOBRINHOS DENINHO E RODRIGO CASARINI
casarini@casarini.com.br  (Terça Feira, 4 de Novembro de 2003, às 18:35:22)


Na epoca eu corria de RD 350 e o Zé largou com uma Yamaha 500 ou 650 nao sei. Só lembro que a sua moto nunca pegava e eu no meio do retão de interlagos pensando... la vem o Zé ... fiz a tomada mais fechada do que costume porque pressentia que o Zé não ia frear na curva tres. Porque ? Só ele pode responder. Resultado... pó, muito pó... uns 10 metros de cerca de contenção arrancada e um piloto tentando voltar para a corrida ! Bons tempos ! Muitos ficaram pela estrada ! sorte Zé Casarini excelente piloto.
Ivan de Jesus
ivandejesus53@bol.com.br  (Segunda Feira, 1 de Março de 2004, às 00:10:42)


Meu nome é Jorge dos Santos Nunes tenho 28 anos  corro na 250.  Adorei a materia
Jorge dos Santos Nunes
(jnunes@tomesantos.com.br) Domingo, 12 de Dezembro de 2004, às 18:11:02


Parabéns Zézinho, sua historia é muito bacana como você, grande figura, um beijo da sua cunhada que te adora e te adimira muito!
Yvone Bezerra
(yvonebx@hotmail.com) Sexta Feira, 14 de Janeiro de 2005, às 15:52:47


ZÉ, UM ABRAÇO DO TEU AMIGO E ADVERSARIO BOCA DAMINELLI. MUITA SAUDADE ! UM EXELENTE PILOTO E UM BOM AMIGO.
ROBERTO BOCA DAMINELLI
(roberto.daminelli@terra.com.br) Sábado, 23 de Julho de 2005, às 08:12:46


José Casarini é um irmão, um ser humano íncrivel com um coração três vezes mais o seu tamanho. José é mais uma vítima da falta de apoio ao esportista brasileiro uma curta carreira abreviada pela falta de verba . Jose Casarini e Denisio Casarini quando subiam em uma motocicleta seja ela qual fosse eram o satanáz de cueca. Parabéns mais um show de matéria retratando esses nosso verdadeiros ídolos
Rubinho
(ciadasmotos@uol.com.br) Terça Feira, 14 de Março de 2006, às 14:51:26


Padrinho só agora consequi ver sua fotos, legal hein, um abraço
Rafinha
(rafafernandes3966@hotmail.com) Sexta Feira, 7 de Abril de 2006, às 22:32:49


Caro Amigo,
Além de você ser uma pessoa excepcional, você também foi um grande piloto. A sua história eu não conhecia, parabéns.
Fernando Ornelas
(fernando.ornelas@brp.com) Quinta Feira, 22 de Junho de 2006, às 13:21:10


paizão....
muito legal sua história... pena que o tio Denisio era melhor que voce. Mas ninguem lembra disso mais.
é só isso... beijo
Giuliano Casarini
(kzaban@hotmail.com) Terça Feira, 18 de Julho de 2006, às 13:09:25


A Internet é um meio de comunicação fantástico, mal posso crer que sem nunca ter tirado uma foto sequer juntos, vejo o campeão de minha juventude em um site de motos. Em uma dessas quedas fui eu que levei o Zé para casa junto com minha mãe. Me mudei para Porto Alegre em 1974 e só nos vimos mais uma vez. Hoje sou professora Universitária de Língua Inglesa na Universidade de Caxias do Sul, na cidade de Caxias do Sul-RS, e fiquei sabendo deste site pelo meu irmão Nestor que é louco por motos antigas. Ler tudo que aconteceu após minha saída de São Paulo foi uma grande alegria, sempre soube que ele seria um CAMPEÃO. PARABÉNS, e pelas mensagens que li pude ver que ele é um campeão com uma família linda. Desejo muita LUZ em sua vida.
Maria Valésia  Silva da Silva
(mvalesia@via-rs.net) Quinta Feira, 13 de Setembro de 2007, às 22:47:55


Zé, que interessante ver tudo isso! Voltei à adolescência, momentos muito divertidos com a turma de "motoqueiros" da Casa Verde, passeios à COMASP, caravanas para interlagos... anos dourados e muito bem vividos, isso é o que importa. Parabéns pela bela trajetória de vida, espero que se lembre dessa antiga amiga e se ainda tiver contato mande lembranças  para o Pepe Rosy
Grande abraço
Rosy Rodrigues
(rosyrodrigues03@yahoo.com.br) Domingo, 30 de Setembro de 2007, às 10:50:03


Pai você era o cara ! E ainda é !
Beijos da sua Filha!
Brunna
(bruluz_7@hotmail.com) Segunda Feira, 18 de Fevereiro de 2008, às 15:20:44


Zé Bó!  esse é o Cara!!
Zé fiquei feliz em ler esta matéria. Mas peço ao Ricardo que continue atualizando-a, pois agora sabemos que está restaurando carros antigos o que é uma paixão nacional!!
Parabéns Zé Bó, por tudo o que ainda faz por sua gente, seus fãs. Mas por favor, não esquece a pomada de assadura, ainda mais quando for para os EUA, rsrsrs, ele não coneguia pedir a pomada de assadura em inglês na farmácia, foi ilário, se assou inteiro... rsrsrsrs
Um abração amigão, continue sendo esta pessoa formidável que Dona Rosa colocou no mundo.

nome: Reinaldo Cangueiro
(cangueiro@terra.com.br) Sexta Feira, 16 de Maio de 2008, às 23:10:13


Zé, não sei se vc vai se lembrar de mim. Eu era amiga da Roseli Fiorini; morava em frente à casa dela, na esquina da Av. Casa Verde. Tenho muitas lembranças boas daquela época. No meu aniversário de 15 anos, vc apareceu lá em casa para me dar um presente: um passeio de moto que durou a tarde toda. Muitos outros passeios vieram, mas aquele foi especial ... a primeira vez que subi em uma moto na vida! Guardo a lembrança de nossa amizade com muito carinho e fico muito feliz por saber notícias suas. Um grande beijo e boa sorte, sempre!

nome: Sandra Marasco
(sanmarasco@hotmail.com) Segunda Feira, 16 de Junho de 2008, às 21:52:10


José Antônio Casarini, quantas saudades. Externato Centenário (1964) estudamos na mesma sala com a mesma Profa. Você gostava muito de maria-mole, só que antes de devorar voce balançava a maria-mole pra cima, pra baixo para os lados e a jovem Profa. dava risadas com total malícia e por fim a classe ria em côro. Lembra da diretora Sra. Norma D' Venture? Obs: Com certeza você tem duas fotos escolar uma só você e outra a nossa classe eu estou na última carteira. Enviarei-lhe mensagens via e-mail do seu filho Giuliano, combinado? Forte abraço e Vida Longa. Obrigado, Ricardo Pupo.
Luciano de Barros
 autodidat2009@uol.com.br 


nossa... este cara é o maximo demais te adoro muito v é muito bonito demais
fabiana roegria paulino correia


CARA É BOM MESMO FOI UM GRANDE HOMEM... Valeu por tudo.
nome = Rafael
email = rafael@casarinikawasaki.com.br


Olá não te conheço pessoalmente, mas é legal saber que meu pai fez parte deste trajeto...
nome = Thais King
email = chinesak@hotmail.com


Muito legal esta matéria. Um abraço,
nome = Rogério Faleiro
email = r.faleiro@ibest.com.br 


NOBRE AMIGO CASARINI, EM TEMPO; FELIZ ANO NOVO! RECHEADO DE SAÚDE, PAZ, E SUCESSOS NA VIDA. E APROVEITANDO O MOMENTO; CASARINI! ESTOU NO AGUARDO DA FOTO XEROX DA NOSSA TURMA DE CLASSE DO EXTERNATO CENTENÁRIO, PERDÔE MINHA INSISTÊNCIA POR TAL FOTO É QUE A MESMA É O INÍCIO DA MINHA BIOGRAFIA, CONFESSO-LHE QUE OS DEMAIS ALUNOS DA NOSSA CLASSE TOMARAM RUMOS IGNORADOS, UMA PARTE DA MINHA TRAGETÓRIA ESTÁ NA FOTO QUE VOCÊ TEM, PORISSO PEÇO-LHE EM NOME DA NOSSA VELHA AMIZADE TIRE UMA XEROX, ACREDITE QUE NÃO FICARÁ NO PREJUÍZO, POIS IREI RESSARCI-LO, DÊSDE JÁ! O MEU MUITO OBRIGADO!RICARDO PUPO, AXÉ!
nome = Luciano de Barros
email = autodidat2009@uol.com.br


lembra de mim ze mariao corvo loquinho bengala alexandre toninho tejada lembra da kawa 500? que o corvo falava que era um onibus eletrico? abraços conheço tudo isso ai do motociclismo dos anos 70 vc sabe fique c deus
nome = marioqueirozjunior
email = mariotaison@hotmail.com


uma linda historia! Mas você é parente de wilson casarine?
nome = isis maciel de arruda
email =
gotchaleicam@hotmail.com                                    04/04/2011


Zé, que legal te achei ! Como está a vida ?! Manda seu e-mail please. Beijos
nome = ANGELA LANDI
email =
angela_landi@ig.com.br                                        22/07/2011


Zé, bom te ver, não conhecia este lado seu, vc correu com o Landi!!
nome = ANGELA LANDI
email =
angela_landi@ig.com.br                                            01/08/2011


Gostei muito. Beijosssssssss
nome = Dirceu
email =
dirceuleandro@hotmail.com                            14/12/2011


BOM TB SOU FAMILA CASARINI VC TEM UMA BELA TRAJETORIA ACHEI LEGAL ISTO MOSTRA QUE E UM HOMEM DE BONS COSTUMES A MANTEM TUDO JUSTO E PERFEITO RSRS ABRAÇOS .
nome = claudemir casarini
email =
c.casarini@uol.com.br                                    09/04/2012


casarini , vc corria com o piloto tucano em interlagos ?um abraço .
nome = sandra
email =
fontes.sandra@hotmail.com                        20/08/2012

Cara Sandra: O Zé Casarini disputou algumas provas juntamente como Tucano, mas quem era o maior rival do Tucano era seu irmão mais velho, Denísio Casarini.
Abraços,
Ricardo Pupo